Aquele Outro Lado

Reflexões, reclamações, contradições e todas essas coisas que todo mundo precisa de vez em quando.

Primeira pessoa, pra começar diferente mesmo.

Não faz muito sentido estar aqui, mas o que é que faz sentido, no fim das contas?

A verdade é rebuscamento demais acaba te travando de tal jeito que acaba se tornando uma prisão. E eu ando numa fase livre demais para simplesmente aceitar esse tipo de cárcere ou me forçar a lapidar demais qualquer ideia simples. A verdade é que essa pontinha de espírito juvenil ainda faz com que eu me deslumbre frente a novidades. Como pintar o cabelo de laranja ou a parede do quarto de azul turquesa (como eu já fiz, aliás. Ah, que saudade daquela parede).

Enfim, tudo isso não passa de enrolação.

Eu só quero, well, dizer boas vindas aos corajosos (me recuso a chamar meus leitores de desocupados) que tiraram um tempinho pra vir aqui ler todas as irrelevâncias que eu pretendo colocar aqui. Aliás, boas vindas e muito, muito obrigada, né!

 

 

PS: Não se assustem, os próximos posts não serão tão chatos assim. Ou pelo menos eu espero que não. Enfim.

 

**”Pumped Up Kicks”, Foster the People. Da série “músicas que, uma vez que você ouve, jamais sairão da sua cabeça”.

Navegação de Posts